domingo, 16 de setembro de 2012

Para sair da crise, o Zé povinho tem que se mexer

Esta já não é nova, mas penso estar muito apropriada para o momento que o país vive.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Tristiano Euronaldo



É um exímio jogador e um grande profissional, não obstante, é por vezes traído pelos comentários infelizes que faz. Ninguém é perfeito!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Caricatura de José Hermano Saraiva





“Mal se soube da morte do historiador e jurista, José Hermano Saraiva, alguns sectores da nossa sociedade, muito bem representados nos blogs e nas redes sociais, não tardaram em afirmar que “havia menos um facho na terra”. Com o corpo do ilustre divulgador da história ainda quente, já o maniqueísmo andava à solta. Como lembra Luís Menezes Leitão no blog Delito de Opinião, “os clássicos diziam que mors omnia solvit”, isto é, a morte dissolve tudo. Porém, esta gente cá do burgo diz que não vai em mistificações e que não esquece a presença do professor no executivo de Salazar durante o Estado Novo.

Na hora da sua morte, o folclore habitual recorre às sua típicas simplificações e não consegue respeitar e louvar o serviço que este homem prestou ao país e à sociedade. Se tivermos em conta uma apreciação global da sua vida e acção, José Hermano Saraiva é muito mais do que um mero fascista. Isso é o puro maniqueísmo lusitano a funcionar. José Hermano Saraiva distinguiu-se como um comunicador nato da nossa história, talvez romanceando demais, mas isso não diminui o excelente trabalho que prestou ao país e que o país – como as audiências aos seus programas o demonstram nos últimos anos – nem sempre respeitou ou esteve à altura deste pequeno grande homem.

Sim, contra as críticas que me possam fazer por conivência com um dito “fascista”, eu não tenho problema em dizer que respeito e admiro esta figura. José Hermano Saraiva não tem as mãos manchadas de sangue ou de outras atrocidades maiores e não é por ter pertencido a um governo autoritário – por pouco tempo, diga-se – que cai por terra todo o seu bom trabalho como jurista (raramente lembrado) e como historiador e comunicador da história. Na RTP, José Hermano Saraiva fazia verdadeiro serviço público, transmitia a nossa história e cultura à população.

Não ter em conta isto no julgamento apressado que alguns fizeram, é – repito – puro maniqueísmo. Não conseguir ver José Hermano Saraiva para além deste facto é cegueira ideológica. Mas enfim, já sabemos como são alguns sectores da nossa sociedade, nomeadamente a esquerda, no tratamento que fazem a quem não é do “seu lado” – um eterno fascista. Gostava de ver este puritanismo todo e simplificação no julgamento de outras figuras da história, como Fidel, Che Guevara ou Estaline. Para estes, há sempre um “mas”. Olhem, vão bugiar e deixem o homem descansar em paz, que bem merece.”

Alexandre Poço, redator

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Tanques Pandur(ados)





Depois dos submarinos, eis agora, os tanques Pandur(ados) a apodrecer num estaleiro do exército nacional.

Queima das fitas de Paris

quinta-feira, 28 de junho de 2012

O Fado negro lusitano




Até dominámos o touro, mas as bolas portuguesas que vão ao ferro, não entram, às vezes contrariando as leis da física, enquanto as dos espanhóis rebolavam miraculosamente para dentro. É o fado português, mas, perante as circunstâncias dos dois países envolvidos na contenda, este é o menor de todos os males, no caso português e a menor de todas as alegrias no caso dos "nuestros hermanos".

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mais austeridade equivale a menos emprego!





Mais austeridade equivale a menos emprego. É o retrato do portugal de hoje.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Elevem a nossa linda vila de Marvão a património da Humanidade...já!




"Segundo a Rádio Portalegre: "A candidatura de Marvão a Património da Humanidade, pela UNESCO, deverá estar concluída no próximo ano, anunciou o vereador do pelouro da Cultura, daquela autarquia alentejana.
José Manuel Pires, que falava à margem da 6ª edição do Festival Al Mossassa que decorre em Marvão até à próxima quarta feira, revelou ainda que nos últimos anos foram investidos mais de 4,5 milhões de euros na preservação do património daquela vila histórica.
O autarca sublinhou que a complexidade dos trabalhos tem feito com que o processo seja moroso mas ressalvou que o novo dossier deverá estar concluído e pronto a entregar à UNESCO no próximo ano.

A autarquia espera que a Comissão Nacional da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) aceite o trabalho que conta com mais de 20 profissionais envolvidos na elaboração da candidatura.

O processo conta com a colaboração de Ray Bondin, embaixador de Malta na UNESCO e presidente do Comité Internacional das Cidades Históricas (CIVVIH), organismo integrado no Conselho Mundial de Monumentos e Sítios (ICOMOS).


Há alguns anos, Marvão avançou com uma candidatura a Património da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), mas acabou por retirá-la em 2006, depois de um parecer negativo, para evitar quer fosse anulada."

In    http://forummarvao.blogspot.pt/



domingo, 29 de abril de 2012

Homenagem a Miguel Portas

Caricaturar não é apoucar!
A minha homenagem sincera ao Homem e ao político que foi Miguel Portas.